• ALE GOMES

A promissora Clitoria ternatea



Por Alexandre Bernardes 

Flores comestíveis, como essa “clitória ternatea” usada para nutrição e decorar saladas, a infusão com as flores desidratas produz uma bebida de cor azul índigo, que sensível a mudança de pH encanta com suas transformações de cores. Em pH ácido por exemplo ao se adicionar gotas de limão ou pedaço de abacaxi a cor passa de azul para rosa, e quando em pH alcalino com pouquinho de açafrão por exemplo, se altera para verde. Seu corante natural caracteriza o arroz tailandês azul, ou qualquer preparação que se queira realçar com a cor. Fitoquímicos presentes na cor, diminuem absorção de carboidratos dos alimentos (por inibição da α-amilase)quando usado como corante, que é uma das antocianinas.

Mais do que isso, a bebida quente ou fria oferece fitoquímicos com potenciais nootrópicos (para função mental), sem cafeína, é um potencializador de memória, antidepressivo, relaxante, antiestresse, anticonvulsionante, ansiolítico e sedativo. Ainda outros fitoquímicos geram efeitos anti-inflamatório, antidiabético, inibi agregação plaquetária (tornando mais fluído o sangue), hepatoprotetor, e ajuda controlar estado de febre.

Flor da Ásia tropical postulada na ilha de Ternate do arquipélago das Mollucas, cujo formato figura a genitália feminina, possui sabor e perfume delicados, sutilmente amadeirado, é muito querida pelos indianos famosos programadores matemáticos. Na cromoterapia, o azul promove relaxamento, acalma e é aliado do sono.

A melhor forma de infusão deve ser em média 3g secas (1 colher de chá) de flores para 1L de água. A infusão deve ser em água ‘não’ fervente, no max. 80°C por 20 minutos idealmente. Sirva, se quiser azul; quente, ou gelado com limão; as duas cores azul virando rosa.

Flor Azul de Clitória Ternatea

As plantas foram os primeiros alimentos dos seres vivos, vegetais como frutas, folhas e flores já foram os principais mantimentos antes da descoberta do fogo.

Diversos mecanismos afetam o aparecimento da cor ao nascer um alimento, um desses é o papel de proteção contra o excesso de radiação solar, há influência de outros mecanismos para produzir cada gosto peculiar de todo alimento oriundo das plantas, é no metabolismo secundário que a planta desenvolve compostos químicos bioativos (fitoquímicos), ou moléculas para adaptar ou se proteger contra predadores, tipos de solo, pragas, e outros desafios que possam impedir a perpetuação da espécie. Gerando em todas as partes da planta, nas folhas, caules, flores e raízes, fitoquímicos para sua própria sobrevivência, que lhes atribuem um sabor e odordiferenciado ao ser saboreada pelos humanos. E nos assim beneficiando por consumir suas características de defesa desenvolvidas.

Através da mastigação extraímos macronutrientes vitais, mas é na infusão (chás) que se permite maior extração dos fitoquímicos, pois substâncias hidrossolúveis dispersam-se na água em determinadas temperaturas e tempo. Uma coisa é mastigar e comer uva, outra coisa é beber um vinho, que foi obtido com maior extração das propriedades corantes presentes na casca, por exemplo.

Flores comestíveis como é a flor de “clitória ternatea” uma de muitas PANC (plantas alimentícias não convencionais), usada para decorar saladas, a infusão com as flores desidratas produz uma bebida de cor azul índigo, que sensível a mudança de pH encanta com suas transformações de cores. Em pH ácido por exemplo ao se adicionar gotas de limão ou pedaço de abacaxi a cor passa de azul para rosa, e quando em pH alcalino com pouquinho de açafrão por exemplo, se altera para verde. Seu corante natural caracteriza o arroz tailandês azul, ou qualquer preparação que se queira realçar com a cor. Fitoquímicos presentes na cor, diminuem absorção de carboidratos dos alimentos quando usado como corante, que é uma das antocianinas.

Mais do que isso, a bebida quente ou fria oferece fitoquímicos com potenciais nootrópicos (para função mental), sem cafeína, é um potencializador de memória, antidepressivo, relaxante, antiestresse, anticonvulsionante, ansiolítico e sedativo. Ainda outros fitoquímicos geram efeitos anti-inflamatório, antidiabético, inibi agregação plaquetária (tornando mais fluído o sangue), hepatoprotetor, e ajuda controlar estado de febre.  Entre muitas outras virtudes que abre oportunidades para muitaspesquisas.

Flor de uma planta com origem asiática, cuja cor forma um chá azul de diversas tonalidades, possui sabor e perfume são delicados, sutilmente amadeirado, é muito querida pelos indianos conhecidos como grandes matemáticos. Na cromoterapia, o azul promove relaxamento, acalma e é aliado do sono.

Para melhor aproveitar os benefícios, a melhor formade infusão deve ser em média 3g secas (1 colher de chá) de flores para 1L de água. A infusão deve ser em água ‘não’ fervente, até 80°C por 20 minutos idealmente. Sirva, se quiser azul; quente, ou gelado com limão; as duas cores azul virando rosa.


Serviu para Referências do autor do texto:

Araújo, C. M. (2011). Alquimia dos Alimentos, . Brasília: Senac.



61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

PIZZAS