• ALE GOMES

MADE IN SITU


Carlotamag esteve no studio @madeinsitu de @noeduchaufourlawrance para conhecer BARRO NEGRO MADE IN SITU - MANIFESTO.

Made in Situ é a materialização de uma dinâmica criativa de intuição, enraízada nas riquezas de um território, dos seus artesãos e das

suas conexões sistémicas com a natureza, resultando num ciclo de

estações, cada uma com a sua própria história.

As peças desenhadas são fruto das aventuras de Noé, da exploração de texturas, padrões e materiais, geológicos e biológicos, e das suas técnicas relacionadas.

“Acima de tudo, o meu estímulo vem do conhecimento e sensibilidade humanos, que nos conectam e estão incrustados em cada lugar específico” — diz Noé Duchaufour-Lawrance

O estúdio Made in Situ Lisboa existe para apoiar estas aventuras e mergulhar por estas histórias adentro, sendo uma plataforma que

nutre uma série de trocas interdisciplinares, fomentada pelas cria-

ções e pelo processo destas, uma plataforma que reflete o atual movimento de transição da nossa relação humana com a Terra. Carlota adorou a imersão!






PILARES FUNDADORES


por Noé Duchaufour-Lawrance


01 MATERIAIS, UM TERRITÓRIO A SER EXPLORADO

Em Portugal, a terra e o Mar estão sempre presentes. O Mar, um elo

entre a diversidade que cria união neste país, permite-me pensar,

planear, sonhar e assentar na vastidão do horizonte e espaço. A Terra

por outro lado, em todas as suas formas, convida-me a fazer, a

criar e concretizar.

De Norte a Sul, a nossa exploração livre do país

confronta-nos regularmente com paisagens de tirar o fôlego, ricas em

padrões e formas, geológicos e biológicos. (Re-)conecta-nos com a

Natureza, aguçando instintos e emoções, despertando vividamente

o processo criativo. Explorando a olaria de Barro Negro da região de

Tondela, o Bunho, fibra vegetal colhida por artesãos perto de Santarém,

a Cortiça vinda do Algarve, a Pedra das pedreiras de Estremoz

ou o Bronze de Peniche; a nossa busca incessante por habilidades

e ofícios Portugueses é uma maneira cativante de conhecer e viven-

ciar as regiões do país a fundo.


02 O CENTRO DO PROCESSO, MÃOS E HUMANIDADE

A derradeira fonte de inspiração reside nos artesãos que conhece

mos. Cada colaboração é intrinsecamente alimentada pela troca.

Despoletando uma forma de comunicação específica e individualizada

entre o design e o ofício: um respeito pelo processo e pelas

tradições enriquece consistentemente a reflexão à volta do design.

Quando é libertada desta maneira, a criatividade floresce. Temos

uma abordagem de “todas as mãos em uníssono”, mão que idealiza

e mão que realiza, pacientemente entre as oficinas dos artesãos e o

nosso estúdio. Cada história, única, é de ideias.

NATUREZA

Durante este primeiro encontro, a exploração da equipa continuou

pela paisagem mística da Serra do Caramulo adentro. Montanhas

nebulosas, cheias de ar fresco, salpicadas de enormes pedregulhos

cobertos por musgo e líquenes ligados por um tapete de pequenas

ervas e arbustos. Uma paisagem de formas mutáveis, uma paisagem

cujas estradas serpenteantes escondem um Portugal menos conhecido

.

DESIGN

A Coleção Barro Negro está profundamente enraizada nestas mon-

tanhas, em conjunto com a conexão da comunidade que envolve a

Soenga em Molelos, onde cada peça é feita à mão.

Conexões comunais, formações da terra e chamas enterradas

Vasos Circulares (Circle Vases), 4 conjuntos de 12 vasos - Conexão

comunal

Os vasos circulares — Circle Vases — são tanto metáforas, como

uma representação formal das ligações sentidas por Noé durante a

sua primeira experiência na Soenga comunitária.

Cada peça é única na sua expressão e forma. Personagens únicos dando as mãos,

reunindo-se consecutivamente em círculos e correntes.





98 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo